3 de maio de 2014

Nessa luta do rochedo com o mar

Data da viagem: fevereiro de 2014

Em uma época de mísseis teleguiados, ataques aéreos e até guerra biológica, com o uso de bactérias para destruir o inimigo, as fortalezas de pedra à beira-mar não parecem fazer muito sentido.

Eu não sou uma pessoa fascinada por guerras (há quem o seja). Talvez por isso mesmo admire tanto esse tipo de construção, agora que pouca utilidade elas têm como pontos estratégicos de defesa. O contraste da edificação sólida, de pedra, resistente a tantos séculos de intempéries e ataques, com o movimento fluido, embora forte, das ondas do mar, é quase hipnotizante.

No Porto, em uma praia do Oceano Atlântico, poucos quilômetros depois da foz do Rio Douro, está a mui bela Fortaleza de São Francisco Xavier – pouco conhecida por seu nome oficial, e sim pelo apelido de Castelo do Queijo.

Castelo do Queijo

A fortaleza foi edificada sobre o penedo do Queijo e herdou o apelido

Como diz o ditado que cito no título deste post: na luta do rochedo com o mar, quem sofre é o marisco. Mas em tempos de paz, não é nada mal apreciar essa pequena guerra.

-Monix-

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Cidades - Europa, Porto

Tags

, , ,